Cuidando da Ecologia de sua Mente

Alguns dos elementos muito importantes e bastante em voga nos dias de hoje são a ecologia, os cuidados para com o meio-ambiente e o desenvolvimento sustentável.

Muita gente está preocupada com esses assuntos, muitas vezes lê artigos e matérias sobre isso tudo e procura em seu dia-a-dia agir em conformidade com o que entende que como correto.

No mundo em que vivemos, para que as coisas possam surgir e ganhar vida é preciso que uma idéia inicial criadora seja gerada e, juntando-se todas as condições necessárias para a plasmação, essa idéia se torne realidade.

É assim com o nascimento das crianças cujos pais, na maioria das vezes, têm idéia de ter um filho, sentem essa necessidade com todo o coração até que, num momento dado a esposa dê a luz.

Uma pessoa que quer trabalhar imagina-se ocupando uma função, capacita-se, faz contatos com pessoas e empresas, gerando condições para tanto o artista que quer produzir uma obra de arte primeiro a idealiza, seleciona os materiais necessários e canaliza sua intenção através da ação o músico busca “ouvir” algum som no plano mental para transformá-lo em música e o consegue, após estudar e ensaiar bastante pensamos em uma refeição saborosa com os amigos e geramos as condiçôes para um pequeno evento.

O desenvolvimento desequilibrado ocorre, fundamentalmente, porque a idéia inicial estava cheia de interesses particulares e individualismos, ao invés de se ter focalizado o melhor para a maioria envolvida.

Mentalmente defendemos o nosso sem nos importarmos com o vizinho, o concorrente, o conhecido e, muito menos, com o desconhecido. Essa falta de importância é a que acarreta na despreocupação com as plantas, os animais, o meio-ambiente etc.

Uma mentalidade que não se preocupa com os que estão a sua volta produzirá pessoas inseguras, descontroladas e desequilibradas que acabarão por gerar desequilíbrio na sociedade e, consequentemente, na natureza em que está inserido e da qual ele faz parte.

Conta-se numa parábola que várias vezes Deus se fazia manifestar em forma de um desconhecido que ia de encontro às pessoas em situações diversas para verificar se estas eram dignas e elevadas.

Será que essa parábola ainda se expressa entre nós?

Não tem como cuidar da natureza se a nossa “ecologia interior” não anda bem.

Precisamos despoluir-nos internamente. Limpar maus hábitos e vícios, fazer um paisagismo de boas condutas e decorar com ações nobres todo nosso ser.

Cada um e todos nós somos importantíssimos. Não se dê por vencido! Faça sua parte física, emocional e mentalmente, para que o desenvolvimento SEJA sustentável.