Atitude Positiva para transformar as coisas

Quantas vezes ouvimos nossos pais, avós, tios, irmãos mais velhos, sempre falando que não devíamos mais fazer xixi na cama pois já éramos grandinhos? Ou coisas como: “Você ainda chupa chupeta, uma menina tão bonita e mocinha!” “Olha só que belezinha, já sabe arrumar tudo direitinho!” etc.

No entanto, nós crescemos e nos tornamos conscientes dos nossos atos e ninguém nos fala mais o que fazer ou deixar de fazer. Mas, será que somos donos dos nossos atos? Será que realmente crescemos como seres humanos, ou somente deixamos de ser criancinhas?

Hoje vivemos numa realidade na qual pessoas verdadeiramente maduras e adultas são imprescindíveis, em função de sua forma atuante e consciente. Coisas simples e básicas que eram ensinadas na infância devem ser proporcionalmente tratadas pelos adultos em questões mais complexas, e levadas a cabo com a maior seriedade.

Imaginemos que os adultos de hoje possuem educadores mais especializados que os orientem nas questões de grande importância no contexto atual. Acho que todos nós temos esse educador dentro de nós, o qual poderíamos chamar de “a voz da consciência”, muitas vezes adormecida e preguiçosa, mas nunca dispensável, principalmente nos dias de hoje.

Essa voz nos fala constantemente, mas na maioria das vezes não damos ouvido, ou fazemos pouco caso, deixando de dar-lhe a devida importância e o respeito que ela merece.

Assim como acontece entre o adulto e a criança, nossa consciência constantemente nos fala, e diz coisas como:

“Desligue o monitor do computador se não estiver usando pois ele consome 70% da energia do aparelho!”. Setenta por cento de desperdício num orçamento empresarial ou doméstico, ou até de uma cidade, representa quanto a nível coletivo? Faça a sua parte!

“Não trabalhe tanto para não acabar com sua saúde e, além do mais, você precisa conviver e desfrutar bons momentos com sua família!”. O estresse, a estafa, as enfermidades do homem moderno derivadas da ansiedade, impaciência, pressa etc, representam mais de 80% dos problemas de saúde, o que implica em aumento de seus gastos e queda de sua produtividade.

“Menino, coloque o lixo reciclável separado do orgânico!”. Sabemos que mais de 90% do lixo descartado nos lixões são recicláveis, podem ser transformados e reaproveitados. Imagine um escritório, ou uma casa com coisas velhas, uma montoeira de coisas inaproveitáveis, tomando 90% do espaço, que imagem nos viria?

A maturidade e conscientização de cada um é indispensável. Cada um de nós, e nós dentro do todo, temos que aumentar nossa responsabilidade e compromisso para com o mundo em que vivemos. Não dê as costas para aquilo que está diante de si mesmo, pois as coisas podem melhorar conforme sua atitude.

Quão melhor for sua atitude diante das coisas simples do dia-a-dia, tanto melhor ela será nas questões empresariais difíceis. Quanto melhor for sua postura diante dos atos de preservação, manutenção e desenvolvimento consciente dos recursos naturais, mais tranqüilidade você terá para lidar com questões mais complexas.

Coloque sua criatividade e inteligência em prática, exercite-as descobrindo novas formas para a correta utilização da água, ar, energia elétrica, combustíveis, alimentos demais recursos naturais, pois esses são os maiores bens que temos.

Utilize o bom senso não só nas negociações, mas também na gentileza e paciência para com o próximo. Aproveite a astúcia para melhor utilizar o material com o qual você convive diariamente. Tenha visão de futuro mantendo a cidade cada dia melhor, orientando outras pessoas para o mesmo.

Como uma pessoa pode melhorar de vida, se o que depender dela não é feito com maestria? Como poderá ter sucesso até o último de seus dias se deixou de fazer coisas importantíssimas para todos e, também, para si mesmo? Como poderá ser feliz aquele que só deu importância aos ganhos materiais, que ficam para trás depois que deixamos esta vida?

Não se omita. Dê importância para o meio-ambiente e tudo que o cerca. Faça com perfeição aquilo que depende de você e, como sabeis desde criancinha, “o mais vos será dado por acréscimo”.